terça-feira, 30 de setembro de 2008

Depressão de merda

Penso no quão eficaz seria minha queda aqui do 14º andar. Olho para baixo todas as noites na esperança de, um dia, ter o mínimo de coragem para acabar com toda essa tristeza, ou com essa pouca felicidade. Se a vista não fosse tão maravilhosamente linda e o vento incrivelmente gostoso, acho que eu teria mais motivos para ter pulado logo, de uma vez. Penso também na Kiki, aquela gata pulguenta que ninguém quer, que faz questão de passar em baixo das minhas mãos quando estou jogada no sofá e ronrona como se quisesse dizer alguma coisa. Se eu tivesse com quem deixá-la, alguém de confiança, seria mais fácil pular. Se bem que, se me garantissem que do lado de lá eu poderia continuar fumando meu baseado semanal, eu nem pensava duas vezes. O único problema em deixar esse mundo é não poder mais assistir filmes comendo pipoca. Não sei quem inventou isso, mas é uma combinação perfeita. Assim como vodca com energético, conhaque e licor de cacau, café e cigarro, preto e branco, arroz com feijão... Me bateu uma fome, acho que vou jantar.

4 comentários:

Mimmy disse...

Ficou engraçadinho, vai?

Dalton Campos disse...

Todo mundo tem suas desculpas pra não pular

- lorraine. disse...

fico engraçadinho sim rs
e me deu fome tbm!

G.G. disse...

hahahaha
joga a gata!