segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Não gosto de metades
de mais ou menos bem
de meias verdades
de pessoas medianas
de pouca intensidade
de meio-puta-meio-santa
de lanche pela metade
de café morno
de falsidade
de homem meio honesto
do termo meia-idade
de corações partidos em dois.
Não quero cara-metade,
quero inteiro, intenso.
Aqui, agora, amor.

Um comentário:

caio carmacho disse...

seja quente ou frio