sexta-feira, 28 de março de 2008

Alucinações


Sempre que fico sem opção, acabo parando aqui. Odeio esse lugar, odeio as pessoas que o freqüentam, mas, em noites como a de hoje, este me acolhe de forma indescritível.


Parece que aqui acho tudo o que preciso pelo preço que posso pagar. Logo, chego a conclusão que não posso esperar um atendimento cinco estrelas. A mulher do caixa me conhece melhor que minha mãe e, mesmo assim, não esboça nenhuma reação ou educação quando me vê. Nunca me deseja boa noite ou pergunta se quero mais alguma coisa. Quando quero comprar algumas das guloseimas que ficam no caixa, meu estômago já começa a doer só de imaginar onde conseguirei encaixar a frase: “Me vê 10 daquelas balinhas” antes que ela encerre minhas compras. Parece triste, mas isso não chega perto da forma como estou me sentindo.


Esse lugar me parece tão incômodo que, as vezes, chego a ficar um pouco desesperada quando penso que um dia posso não estar morando perto para recorrer a ele em minhas noites medíocres. Mas, só de vez em quando.

3 comentários:

G.G. disse...

Parece os personagens do Dalton. Estão também sempre fodidos e ansiosos.

Marla disse...

Oo

Flavio Pucci disse...

enquanto for "só de vez em quando" tá bom....ehueueheueh